Ao reabrir praças de alimentação, prefeitura contraria orientação do Coesp

Secretário de saúde diz que município decidiu ‘bancar’ a decisão

Cecília França
Nelson Bortolin

Foto destaque: Pixabay

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, anunciou no último domingo a reabertura das praças de alimentação dos shoppings centers da cidade, limitadas a 50% da capacidade de público. A decisão contraria orientação do Coesp (Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública) que, em reunião na semana passada, deliberou pela manutenção das medidas restritivas até então vigentes.

Continuar lendo “Ao reabrir praças de alimentação, prefeitura contraria orientação do Coesp”

Militância luta contra vulnerabilidade da população trans e travesti

Grupo de Apucarana ampara comunidade T com mantimentos e informação durante a pandemia

Cecília França

No último dia 20 de junho, Renata Borges atravessou a avenida mais movimentada de Apucarana (a 54 km de Londrina) em cima de um trio elétrico rumo à prefeitura. Ao microfone, discursava em defesa dos direitos da população transexual e travesti, reduzida, em sua maioria, à condição de prostitutas. “Nós estamos cansadas de ser prostitutas”, bradava. “Nós queremos trabalho. Nós queremos discutir o uso do banheiro. É incrível que, em 2020, a gente ainda tenha que discutir acesso ao banheiro”, dizia, referindo-se ao banheiro público situado na rodoviária da cidade.

A situação de vulnerabilidade das pessoas trans e travestis é uma realidade altamente agravada pela pandemia do novo Coronavírus. Pesquisa do coletivo VoteLGBT – realizada entre 28 de abril e 15 de maio com mais de 10.000 integrantes da comunidade LGBTQIA+ do país – identificou o grupo como o mais vulnerável no atual contexto, próximo dos pretos, pardos e indígenas e dos bissexuais, mas ainda à frente.

“Quando chegou essa Covid foi de rasgar o coração, porque fecham-se as lojas, os comércios, a indústria, vai refletir lá na ponta, que são as prostitutas. Não tendo clientes, não tem o que botar na mesa”, conta Renata. As travestis ficaram desassistidas de mantimentos e de informação. A solução foi agir.

Continuar lendo “Militância luta contra vulnerabilidade da população trans e travesti”

MP denuncia policiais militares de Londrina por homicídio

Morte de Lucas Hendrik Riedlinger dos Santos, em julho do ano passado, teria sido por vingança

Nelson Bortolin

O Ministério Público do Estado do Paraná denunciou os policiais militares Ederson Aparecido Dias, Nelcindo Zanchi Júnior, Victor Hugo de Mattos Bocate e Fábio José da Rocha, de Londrina, pelo homicídio do jovem Lucas Hendrik Riedlinger dos Santos, 22 anos, ocorrido dia 12 de julho de 2019, no Conjunto Mister Thomas (zona norte de Londrina).

Continuar lendo “MP denuncia policiais militares de Londrina por homicídio”

Maldita Geni

Por Paula Vicente e Rafael Colli, integrantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB/Londrina

Durante muito tempo pensamos em escrever sobre pessoas LGBTQI+. São tantas as violações de direitos, privações, violências física e verbal cotidianas que assunto não falta. Mas, por não querermos ocupar lugar de fala que não nos pertence, sempre preferimos priorizar outras pautas.

Continuar lendo “Maldita Geni”

Documentário sobre trans e travestis de Londrina chega a Congresso Internacional de Direitos Humanos

Artigo do Professor Reginaldo Moreira, aprovado para o evento, retrata o processo de construção do filme “Meu Amor, Londrina é Trans e Travesti”

Cecília França

Quando o desejo de Christiane Lemes de resgatar e registrar a história de luta da comunidade trans e travesti de Londrina encontrou a capacidade de criação do jornalista e professor Reginaldo Moreira, começou a nascer o documentário “Meu amor, Londrina é trans e travesti”. Lançado em 2019, após três anos de trabalho multidisciplinar com estudantes de graduação e pós-graduação da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e participação direta do Coletivo Elitytrans, o filme agora chega ao V Congresso Internacional de Direitos Humanos de Coimbra.

Continuar lendo “Documentário sobre trans e travestis de Londrina chega a Congresso Internacional de Direitos Humanos”

Nucria de Londrina vai usar redes sociais para divulgar foragidos

Ação visa aumentar efetividade das buscas e a consequente prisão de suspeitos ou condenados por crimes sexuais contra crianças e adolescentes

Cecília França

O Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria) de Londrina começa hoje a utilizar seus perfis nas redes sociais para a divulgação de fotos e nomes de foragidos condenados ou suspeitos de crimes sexuais contra vulneráveis. O objetivo é aumentar a efetividade das buscas e o consequente cumprimento dos mandados. A ação começa um dia após a Operação 13 de julho, da Polícia Civil, que marcou os 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) com a prisão de cinco homens envolvidos em crimes sexuais contra menores de 14 anos, em Londrina.

Continuar lendo “Nucria de Londrina vai usar redes sociais para divulgar foragidos”

Sem quarentena, domésticas se equilibram entre risco de contágio e necessidade de trabalho

Trabalhadoras foram afetadas de diferentes formas na pandemia: muitas perderam o emprego, outras seguem trabalhando com medo da exposição ao vírus

Cecília França

Desde que a pandemia do novo Coronavírus estourou em Londrina e as medidas de isolamento foram impostas, em meados de março, Rosa de Souza, 38, segue trabalhando. Ela pertence a um contingente de trabalhadores não classificados como essenciais por decretos, mas sem direito à quarentena nem mesmo por períodos curtos. As domésticas foram impactadas de diferentes formas pelo avanço da Covid-19: de um lado, o desemprego, especialmente entre as informais; de outro, a exposição ao risco de contágio pelas que seguem trabalhando, principalmente mensalistas.

Rosa está neste segundo grupo. Mãe de uma jovem de 17 anos asmática – grupo de risco para Covid-19 – ela ficou por dois meses sendo levada de carro pelo marido e retornando para casa com os empregadores. Neste período, a filha teve o contrato de trabalho suspenso. No mês passado, no entanto, ela voltou a enfrentar o transporte público logo pela manhã e precisou reforçar as medidas de segurança para evitar contaminação.

Continuar lendo “Sem quarentena, domésticas se equilibram entre risco de contágio e necessidade de trabalho”

Moradores denunciam retirada de pertences em operação na rodoviária

Cecília França

Pessoas em situação de rua que ocupavam o Terminal Rodoviário de Londrina reclamam que pertences pessoais foram levados durante a operação realizada no local na última quinta-feira. De acordo com os relatos, um caminhão da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) retirou o que havia ficado no saguão após a saída das Kombis com os que foram destinados ao abrigo. Eles reclamam do extravio de roupas, cobertores, colchões e até documentos pessoais.

Continuar lendo “Moradores denunciam retirada de pertences em operação na rodoviária”

Operação na rodoviária mostra que não há solução simples para situação de rua

Dentre as 20 pessoas que foram encaminhadas para abrigos, nove já desistiram; quem não foi segue na rua e tenta reaver pertences levados na operação

Cecília França

Na manhã da última quinta-feira (2), pessoas em situação de rua foram retiradas do espaço onde se abrigavam no Terminal Rodoviário de Londrina em uma operação integrada das Secretarias Municipais de Saúde e Assistência Social. Dentre os que estavam no local no momento da abordagem, cerca de 20 aceitaram vagas em abrigos e os outros, não. Quem não estava presente no momento teve colchões, cobertores e roupas levados por um caminhão da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) e busca reaver seus pertences.

Continuar lendo “Operação na rodoviária mostra que não há solução simples para situação de rua”

Sob o olhar do ‘garoto da vila’

Fotojornalista londrinense troca fotos por cestas básicas para alimentar comunidades carentes
da cidade durante a pandemia do Coronavírus

Por Mariana Guerin, jornalista e confeiteira em Londrina. Adoça a vida com quitutes e palavras

“Em muitos momentos da minha vida eu me peguei questionando sobre o tempo em si. Vejo
um pessoal novo já exercendo a profissão sonhada aos 20 anos e eu, aos 29, ainda nem vivo
da profissão que escolhi, olha o tempo perdido. Mas hoje consegui equalizar esse pensamento
de uma maneira que me define demais: cada um vive no seu próprio tempo.” Essa sinceridade
toda, uma disponibilidade ímpar e um sorriso largo são as qualidades que mais chamam
atenção no jovem fotojornalista londrinense Isaac Sitta Fontana.

Continuar lendo “Sob o olhar do ‘garoto da vila’”