AML pede aos médicos para alertarem sobre o pior momento da pandemia em Londrina

Em comunicado, entidade diz que isolamento social foi de apenas 35% na cidade na primeira semana de setembro

Da redação

Com apenas 35% de isolamento social na semana de 1 a 7 de setembro, Londrina vive o pior momento da pandemia do novo coronavírus. São 211 óbitos e 7.829 infectados até o momento. Pessoas com idade entre 20 e 39 anos representam 43% da população de infectados na cidade. Preocupada com dados como esses, a Associação Médica de Londrina (AML) divulgou um alerta aos associados neste domingo (13) intitulado “O alerta vermelho para a pandemia em Londrina”.

“A AML solicita o apoio de médicos associados para que compartilhem com familiares, conhecidos, pacientes e a comunidade em geral, informações e dados da Secretaria Municipal da Saúde, assim como avaliações e ponderações do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (Coesp), sobre o período crítico da pandemia na cidade e a importância em respeitar as medidas sanitárias municipais que visam manter as condições para internamentos (em número de profissionais e de leitos disponíveis para atendimentos), e que também buscam inibir aglomerações e o aumento do contágio principalmente na faixa etária que apresenta, desde o início, o maior número de contaminados – pessoas com idade entre 20 e 39 anos, que representam 43% da população de infectados em Londrina”, diz o documento.

Continuar lendo “AML pede aos médicos para alertarem sobre o pior momento da pandemia em Londrina”