Júri de acusado pela morte de Matheus Evangelista é adiado

Juiz acolheu pedido da defesa alegando riscos de contaminação pela covid-19; nova data foi agendada

Cecília França

Foto: Reprodução Instagram

No mesmo dia em que a morte de Matheus Ferreira Evangelista completou três anos o júri popular do ex Guarda Municipal acusado de dar o tiro fatal no jovem foi novamente adiado. Previsto para acontecer no próximo dia 17, o julgamento agora deve ocorrer em 3 de agosto. A decisão do juiz Paulo César Roldão acolhe pedido da defesa de Fernando Ferreira das Neves, que aguarda o julgamento em liberdade desde outubro de 2020.

Continuar lendo “Júri de acusado pela morte de Matheus Evangelista é adiado”

Série: Ser professor na pandemia

Por Cecília França

Desde março de 2020 as escolas das redes públicas e privadas estão fechadas em Londrina como medida de contenção da pandemia da covid-19. O ensino remoto trouxe uma nova dinâmica à rotina dos professores, que precisaram se adaptar a novas tecnologias.

Nesta série, a Lume ouviu docentes das redes estadual e municipal de ensino sobre suas angústias, ansiedades e frustrações. No segundo vídeo, a professora alfabetizadora Ângela Silva.

Continuar lendo “Série: Ser professor na pandemia”

‘Quero priorizar o novo trabalho e comida na mesa’

Durante a pandemia, Camila Cardoso perdeu boa parte da renda, precisou abandonar a faculdade e, agora, espera garantir um emprego fixo: “A gente fica duplamente sobrecarregada”

Cecília França

A pandemia agravou a situação de trabalho especialmente de mulheres e pessoas negras*. A informalidade aumentou entre negros enquanto caiu entre brancos. O índice de ocupação das mulheres caiu à menor taxa em três décadas**, com forte impacto da queda do setor de serviços e do aumento da demanda doméstica, decorrente do isolamento social.

A londrinense Camila Cardoso, 28, trabalhava informalmente no início da pandemia e, de imediato, perdeu grande parte da renda. Com o passar dos meses e o relaxamento das medidas de restrição, recuperou parte dela e, agora, espera garantir um emprego fixo. Mãe solo de um menino, precisou abandonar a faculdade para dar conta de tudo.

Continuar lendo “‘Quero priorizar o novo trabalho e comida na mesa’”

‘Fechada eu aprendi a ver o mundo de outra forma’

Educadora física, a londrinense Camila Glaciela precisou se reinventar profissionalmente durante a pandemia sem deixar de lado as funções materna e de cuidados com a casa: “me sinto cobrada o tempo inteiro em não errar”

Cecília França

Os impactos da crise sanitária que se instalou no país com a pandemia do novo coronavírus – e da consequente crise econômica – foram mais fortes entre as mulheres. Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou, em setembro do ano passado, que a queda na renda delas ultrapassava 20% até aquele momento. O efeito maior se justifica pela natureza das funções tradicionalmente desempenhadas pelas mulheres no mercado.

No caso da personal trainer Camila Glaciela, 36, a falta de contato direto com as alunas mudou tudo. As aulas virtuais desenvolvidas na sacada de seu apartamento trouxeram uma série de dificuldades que ela se esforçou para superar. A rotina de profissional, esposa e mãe de dois filhos, que já era corrida, se agravou, exigindo mudanças. Foi aí que ela decidiu investir na costura de mesa posta.

Continuar lendo “‘Fechada eu aprendi a ver o mundo de outra forma’”

‘Me sinto uma leoa caçando o sustento’

Ser empreendedora, mulher e mãe em meio à pandemia fez a vida financeira da cabeleireira Daniela Germano Silva sair dos trilhos: “me deparei com uma crise da qual não consegui sair até agora”

Cecília França

Dentre todas as atividades econômicas, as mulheres estão mais presentes no setor de serviços. Considerando apenas dados de trabalho formal, 41% delas atua neste segmento no país*. E a pandemia tem cobrado um preço alto dessas empreendedoras. Levantamento do Sebrae Nacional revela que nove em cada dez salões de beleza e similares perderam mais da metade do faturamento em 2020 por causa das medidas de isolamento social.

Daniela Germano Silva, 41, tem vivenciado tudo isso. Proprietária do salão de beleza Rainha de Copas, em Londrina, ela se viu desamparada pelo poder público e obrigada a recorrer a empréstimos abusivos para manter seu negócio e sua vida familiar. A renda diminui enquanto os gastos aumentam.

Continuar lendo “‘Me sinto uma leoa caçando o sustento’”

‘Essa época tem sido cruel’

A enfermeira Fátima Hirth Ruiz esteve à frente do Hospital de Retaguarda do HU durante longos meses de pandemia e já tem planos para quando o caos terminar: “vamos merecer um dia de SPA”

Cecília França

O enfrentamento da pandemia do novo coronavírus tem base na força de trabalho das mulheres. Elas representam mais de 65% dos profissionais da saúde do país, nos setores público e privado, e em áreas como a enfermagem esse índice passa dos 80%*. Em Londrina não é diferente. Os holofotes voltados para o Hospital Universitário (HU), referência para o atendimento da covid-19, iluminam rostos femininos como o de Fátima Hirth Ruiz, 52, que esteve na chefia de enfermagem do Hospital de Retaguarda durante longos meses.

Continuar lendo “‘Essa época tem sido cruel’”

PS do HU opera com o dobro da capacidade; direção vê colapso do sistema

Ocupação do Pronto Socorro chega aos 200% nesta sexta; 63 pacientes aguardam vaga em UTI adulto

Cecília França

O Hospital Universitário (HU) de Londrina opera hoje (05) com a maior taxa de ocupação no Pronto Socorro desde o início da pandemia, 200%, e recorde de pacientes esperando vaga em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto: 63. Para a direção, o sistema de saúde de Londrina já entrou em colapso.

Continuar lendo “PS do HU opera com o dobro da capacidade; direção vê colapso do sistema”

Regional de Londrina deve receber amanhã 6.320 doses da Coronavac

Cecília França, com informações da AEN

*Atualizada às 11h05

Foto em destaque: Isaac Fontana

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) iniciou ontem, por Cascavel, a distribuição de novo lote de 67.260 doses da Coronavac enviado pelo Ministério da Saúde. A 17ª Regional de Saúde vai receber 6.320 doses da vacina produzida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan nesta sexta-feira (05). Para Londrina serão destinadas 3.800 doses destinadas a idosos com mais de 80 anos.

Continuar lendo “Regional de Londrina deve receber amanhã 6.320 doses da Coronavac”

Por dentro da Cadeia Pública Feminina de Londrina

Sem superlotação, unidade foca na remição das quase 160 mulheres presas, a maioria jovens de até 30 anos

Cecília França

Uma mulher com as unhas pintadas de vermelho estende a mão pela abertura da porta da cela para receber o prato de comida. Eram quatro e meia da tarde e o jantar estava sendo servido na Cadeia Pública Feminina de Londrina, onde havia 159 mulheres no dia da minha visita, em 5 de fevereiro.

Parece haver um antes e depois na vida das mulheres encarceradas na cidade. No final de 2018, quando o Departamento Penitenciário (Depen) assumiu a direção do que era o 3° Distrito da Polícia Civil, entre 80 e 90 mulheres se aglomeravam em um espaço para 36. Era para ser provisório, mas durava tempo. Em 2019 começaram as obras da cadeia, inaugurada oficialmente em outubro do ano passado, e hoje existem 169 vagas, pátios, escola e projetos de remição.

Continuar lendo “Por dentro da Cadeia Pública Feminina de Londrina”

Paraná é o segundo estado com menor número de policiais civis por habitante

Sindicatos apontam defasagem em todos os postos; só delegados, faltam mais de 200

Cecília França

Foto em destaque: Fabio Dias/PCPR

O Paraná tem hoje um efetivo de 3.868 policiais civis, sendo 372 delegados, 628 escrivães, 2.580 investigadores e 273 peritos. Os dados são do Ministério da Justiça e revelam um contingente defasado em todos os postos, segundo entidades que representam a categoria. São 2.977 habitantes por policial, índice inferior apenas ao do estado do Maranhão, onde há um policial para cada 3.534 pessoas. O concurso previsto para ocorrer no último fim de semana, e cancelado de última hora*, não supriria essa falta histórica.

Continuar lendo “Paraná é o segundo estado com menor número de policiais civis por habitante”