Sem papas na língua (final)

Por Carlos Monteiro*

Está tudo muito bom, está tudo muito bem, mas já “anda pela hora” concluirmos esta crônica, afinal estamos no quarto capítulo, ainda que exista uma infinidade de expressões, julgo, que “já deu o que tinha que dar“; meus fiéis onze leitores já estão fartos de tanto lero-lero, como disse certa vez, Vicente Matheus, quando estava presidente do Corinthians, referindo-se ao jogador Biro-Biro.

Continuar lendo “Sem papas na língua (final)”

Sem papas na língua III

Por Carlos Monteiro*

Sem mais delongas, continuamos com as explicações de Luís da Câmara Cascudo, o homem que estampou a nota de cinquenta mil cruzeiros ou, como era conhecido em Natal, “o homem que sabe tudo” – reconhecido merecidamente -, acerca das expressões que ouvimos diariamente, mas, na maioria das vezes, não temos noção de como se formaram ou por que parecem sem sentido dentro da lógica óbvia.

Continuar lendo “Sem papas na língua III”

Comércio volta a fechar no PR à meia-noite

Decreto estadual inclui fechamento também de escolas e de academias até o dia 8 de março

Nelson Bortolin

O governo do Paraná decretou o fechamento do comércio não essencial em todo o Estado a partir da zero hora deste sábado e até às 5 horas do dia 8 de março. Não haverá aulas nesse período. As academias terão de fechar e os órgãos públicos passam a trabalham em home office.

Continuar lendo “Comércio volta a fechar no PR à meia-noite”

Com presença de muçulmana, internos do Cense 2 debatem livro ‘Eu sou Malala’

Profissionais do sistema de socioeducação buscam levantar questões raciais e de gênero que levem à quebra de preconceitos por parte dos adolescentes

Cecília França

Foto em destaque: Divulgação

Ainda em 2020, a juíza Cláudia Catafesta, da vara de adolescentes em conflito com a lei de Londrina, levou para a biblioteca do Centro de Socioeducação 2 (Cense 2) dois exemplares do livro “Eu sou Malala”, que relata a história da jovem paquistanesa que enfrentou o Talibã pelo direito das meninas à educação. Nesta tarde os adolescentes debatem o livro com a presença de uma jovem advogada muçulmana a fim de compreender a realidade dessas mulheres e – por que não? – aprender com ela. O encontro vai reunir adolescentes de outros Censes do Estado.

Continuar lendo “Com presença de muçulmana, internos do Cense 2 debatem livro ‘Eu sou Malala’”

Paraná é o segundo estado com menor número de policiais civis por habitante

Sindicatos apontam defasagem em todos os postos; só delegados, faltam mais de 200

Cecília França

Foto em destaque: Fabio Dias/PCPR

O Paraná tem hoje um efetivo de 3.868 policiais civis, sendo 372 delegados, 628 escrivães, 2.580 investigadores e 273 peritos. Os dados são do Ministério da Justiça e revelam um contingente defasado em todos os postos, segundo entidades que representam a categoria. São 2.977 habitantes por policial, índice inferior apenas ao do estado do Maranhão, onde há um policial para cada 3.534 pessoas. O concurso previsto para ocorrer no último fim de semana, e cancelado de última hora*, não supriria essa falta histórica.

Continuar lendo “Paraná é o segundo estado com menor número de policiais civis por habitante”

Auxílio Emergencial à custa dos recursos da educação

Bolsonaro, Guedes e parlamentares do ‘centrão’ querem avançar nos recursos da educação para garantir auxílio emergencial

Por Sônia Castro Lopes*

O presidente da Câmara Federal, deputado Arthur Lira (PP-AL) em entrevista ao jornal O Globo (21/02/21), defendeu a desvinculação de recursos orçamentários para saúde e educação. Alegou que não há falta de verbas, mas má gestão. Argumentou, ainda, que o orçamento não pode ser engessado e o poder legislativo deve ter seu poder ampliado para deliberar sobre a pauta por meio de Propostas de Emenda Constitucional (PECs).

Em sentido análogo, discute-se no Senado uma PEC cujo objetivo é reinstituir o auxílio emergencial e para tanto pretende-se revogar a porcentagem mínima a ser destinada a esses dois setores. Essa PEC que quer recriar o auxílio de emergência já fora defendida pelo ministro Paulo Guedes em 2019 e agora segue relatada pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC). O líder do Senado, Rodrigo Pacheco (MDB-MG) afirmou que a posição do relator pela desvinculação do índice mínimo constitucional da saúde e da educação não serão “impostos”, mas negociados. Bittar já declarou que quem manda na educação do país não são os chefes do poder executivo, mas sim as corporações formadas por diretores de escolas, reitores de universidades e sindicatos.

Continuar lendo “Auxílio Emergencial à custa dos recursos da educação”

Sem papas na língua (continuação)

Por Carlos Monteiro*

Só quando passamos a pesquisar as expressões brasileiras é que nos damos conta do quão vasto é este universo. Câmara Cascudo escreveu um livro com mais de 340 páginas sobre o tema – “Locuções tradicionais no Brasil”. Eduardo Salles Pimenta, em “A Casa da Mãe Joana”, decupou a temática em dois volumes que somados chegam a quase 550 páginas. São tantas que dá para separar por temas distintos. “Caminhemos, talvez nos vejamos depois”.

Continuar lendo “Sem papas na língua (continuação)”

Londrina tem recorde de internações e risco de caos

Segundo boletim da Prefeitura, há 134 londrinenses internados, sendo 58 em UTIs

Nelson Bortolin

Londrina bateu novo recorde de internações por covid nesta quarta-feira (24). São 134 londrinenses internados, sendo 58 na UTI. O pronto-socorro do Hospital Universitário fechou novamente, desta vez por 24 horas. Os conselhos regionais de medicina e enfermagem (CRM e Coren) divulgaram nota alertando que o Paraná está com seu sistema de saúde operando em capacidade máxima e cobraram medidas “enérgicas” das autoridades.

Continuar lendo “Londrina tem recorde de internações e risco de caos”

HU pede toque de recolher e fechamento de atividades à Prefeitura

Em ofício encaminhado ao prefeito Marcelo Belinatti, direção do hospital reforça iminente risco de colapso do sistema

Cecília França

No início da noite de ontem, uma fila de ambulância se formava em frente ao Hospital Universitário de Londrina (HU). Superlotado, o HU fechou as portas para pacientes não covid por 24 horas e solicita à prefeitura a adoção de medidas restritivas para conter a pandemia. Em ofício datado de ontem (24) e encaminhado ao prefeito Marcelo Belinatti, a instituição pede a implementação de toque de recolher entre 23h e 5h, aumento da frota de ônibus urbanos, fechamento de áreas destinadas a práticas de esportes coletivos, entre outros.

Continuar lendo “HU pede toque de recolher e fechamento de atividades à Prefeitura”